Das delicadezas do amor

Um acúmulo bonito de coisas que não consigo nem mostrar.

2 de julho de 2010



—ela tem horror de tragédia (. . .)
sabe, eu chorava potes com aquelas coisas, separações lancinantes, amores impossíveis.
ela ria o tempo todo e dizia que eu era uma besta!

Nenhum comentário:

Postar um comentário